O 1° de Maio e a Conjuntura Atual do Trabalho no Brasil

Ah, as ironias da vida! 1° de maio, Dia Internacional do Trabalho. E é um feriado! Que tal aproveitar para refletirmos juntos sobre a atual conjuntura do Trabalho?

Antes, um pouquinho de História…

A origem do 1° de maio como Dia Internacional do Trabalho remonta às ruas da Chicago de 1886, tomada por milhares de trabalhadores para reivindicar a redução da jornada diária de 16 para 8 horas. Foi o início de uma manifestação que durou vários dias, resultando em mais de 20 mortes. Pessoas que deram a vida por um ideal: o Trabalho digno. Desde então, o 1° de maio pelo mundo passou a ser marcado como uma data reservada para a luta por conquistas trabalhistas até que, em 1919, foi reconhecido oficialmente pela França como Dia do Trabalho.

Voltando…

Mas, e no Brasil de hoje? Qual é a reflexão que podemos tirar dessa data? Temos mais motivos para comemorar ou para lamentar?

Brasil! Meu Brasil brasileiro!

Foi extremamente agitada a semana que antecedeu o 1° de maio neste ano de 2017 aqui na terra brasilis. Discussão de uma reforma previdenciária, considerada urgente, mas que está cada vez mais distante. Divulgação do aumento do número recorde de trabalhadores desempregados, que já ultrapassa os 14 milhões. Números da pesquisa PNAD, do IBGE, mostram que a economia brasileira não está reagindo. Votação em caráter de urgência de uma reforma trabalhista que há décadas se faz necessária para o aumento da competitividade do país, mas que foi levada a plenário sem o devido debate da sociedade. Manifestações agressivas por todas as capitais, organizadas por sindicatos supostamente contra essa reforma trabalhista. E isso sem contar a aprovação da Lei das Terceirizações, sancionada em 31 de março!

Então, qual é o panorama do Trabalho hoje no Brasil? O que podemos esperar para os próximos meses, para os próximos anos?

O país passa por um momento de grande transformação nas relações trabalhistas. Infelizmente ou felizmente, já não é mais possível manter leis criadas na primeira metade do último século do milênio passado. É inevitável que em breve haja uma profunda e necessária mudança. O trabalhador que insistir em não aceitar a transformação pela qual estamos passando e não tentar se adaptar a ela, provavelmente será mais um dos que ficarão vulneráveis à nova realidade que se apresenta.

Vivemos uma crise profunda que atinge principalmente o emprego tradicional. O aumento no número oficial de desempregados é prova disso. Atingimos, segundo a pesquisa PNAD IBGE, o pico histórico do desemprego. E, em face a essa realidade, só há duas possibilidades para o trabalhador, ou seja, para mim e para você: esperarmos passivos, quietinhos no nosso lugar, até que venha alguma solução do Governo ou do Mercado, para sermos levados por ela, ou, nos REINVENTARMOS como profissionais num ambiente cada vez mais competitivo, dinâmico e com novos e maiores desafios.

A partir deste mês de maio, nós, do Blog do PJfácil, queremos apresentar a você novas formas de entender o Trabalho nestes tempos dinâmicos em que vivemos. Vamos abordar diversos assuntos, desde a CLT e sua cada vez mais próxima reforma – e o que você ganha ou perde com as mudanças – , passando pela terceirização, novos negócios, economia criativa, startups, marketing multinível, empreendedorismo etc. Enfim, queremos abordar e refletir sobre as novas relações e formas de trabalho. Tudo para ajudar você a aproveitar as oportunidades (e são muitas!) que surgem nesses tempos de crise.

 

E aí? Topa acompanhar? Então vem com a gente! 😉

PJfácil. É fácil assim!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *